Lula elogia atuação de Campos como ministro; veja mais notas de pesar

Do UOL, em São Paulo e Brasília

A morte do candidato à Presidência Eduardo Campos (PSB) após a queda de um avião em Santos (SP) na manhã desta quarta-feira (13) gerou inúmeras manifestações de pesar de figuras políticas. Alguns candidatos, como o presidenciável Aécio Neves (PSDB), anunciaram o cancelamento de suas agendas no dia.

Veja abaixo o que algumas personalidades do mundo político disseram sobre a morte:

Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ex-presidente da República: Como todos os brasileiros, estou profundamente entristecido com a trágica morte de Eduardo Campos. Um grande amigo e companheiro. Conheci Eduardo através de seu avô, Miguel Arraes, um memorável líder das causas populares de Pernambuco e do Brasil. O país perde um homem público de rara e extraordinária qualidade. Tive a alegria de contar com sua inteligência e dedicação nos anos em que foi nosso ministro de Ciência e Tecnologia. Ao longo de toda sua vida, Eduardo lutou para tornar o Brasil um país mais justo e digno. O carinho, o respeito e a admiração mútua sempre estiveram presentes em nossa convivência. Nesse momento de dor, eu e Marisa nos solidarizamos com sua mãe, Ana Arraes, sua mulher, Renata, seus filhos e toda a sua família, amigos e companheiros. Também prestamos solidariedade às famílias dos integrantes da sua equipe e dos tripulantes que falecerem nesse terrível acidente.

Aécio Neves (PSDB-MG), candidato à Presidência pelo PSDB: "É com imensa tristeza que recebi a notícia do acidente que vitimou o ex-governador e meu amigo Eduardo Campos. O Brasil perde um dos seus mais talentosos políticos, que sempre lutou com idealismo por aquilo em que acreditava. A perda é irreparável e incompreensível. Nesse momento, minha família e eu nos unimos em oração à família de Eduardo, seus amigos e a milhões de brasileiros que, com certeza, partilham a mesma perplexidade e pesar."

Antonio Campos, irmão de Eduardo Campos: Perdi um irmão muito querido, muito amado. Morreu lutando pelos seus ideais, pelo que acreditava, um legado de luta para mudar o Brasil. Falei com ele hoje de manhã, ele estava feliz. Ele será enterrado no túmulo do nosso avô.

João Lyra Neto (PSB), governador do Pernambuco: Quero levar ao povo de Pernambuco, ao povo brasileiro, a minha palavra de solidariedade e de muita tristeza. Mas ao mesmo tempo, de muita esperança. Que a vida dele sirva de exemplo pra todos nós, de perseverança e coragem.  Ele se comprometeu a construir uma nova Pernambuco. O Estado voltou a ter destaque em função da sua força, sua pujança e da sua liderança. Eduardo, descanse em paz. Lyra Neto assumiu o governo de Pernambuco quando Campos deixou o cargo para concorrer à presidência.

Partido Socialista Brasileiro: "No dia em que são passados nove anos do falecimento de Miguel Arraes, o Partido Socialista Brasileiro cumpre o doloroso dever de comunicar o falecimento, nesta data, vítima de acidente aéreo, do seu presidente, ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, nosso candidato à Presidência da República. Aos 49 anos recém completados, Eduardo Campos vivia o auge de sua brilhante carreira política: deputado estadual, secretario de Estado de Pernambuco, deputado federal, ministro de Estado, governador de Pernambuco reeleito por consagradora maioria, oferecia sua experiência e juventude ao serviço do País.

Candidato à Presidência da República, apresentou-se ao debate de nossas questões fundamentais, coerente com os princípios que sempre nortearem sua vida, e o primeiro deles era a busca por justiça social, razão de existência do Partido Socialista Brasileiro. Perdemos Eduardo Campos quando mais o Brasil precisava de seu patriotismo, seu despreeendimento, seu destemor e sua competência. Não é só Pernambuco e sua gente que perdem seu líder; não é só o PSB que perde seu líder. É o Brasil que perde um jovem e promissor estadista. Estamos todos de luto."

Rede Sustentabilidade: "Neste momento de dor e perplexidade, a Rede Sustentabilidade manifesta seu profundo pesar pelo falecimento de Eduardo Campos e pelos companheiros de equipe Pedro Valadares Neto, Marcelo Lira, Alexandre Gomes da Silva, Carlos Percol e dos pilotos Geraldo da Cunha e Marcos Martins em um acidente aéreo na manhã desta quarta-feira. A REDE se solidariza com seus familiares, amigos e assessores e convida a todos a manter Eduardo Campos e sua equipe em seus pensamentos."

 

Michel Temer, vice-presidente da República: "Não há palavras para descrever a tragédia que hoje se abateu sobre a política brasileira. Eduardo Campos era um político de princípios e valores herdados de sua família e levados com dignidade e honra por toda sua trajetória no Parlamento e no Executivo. Assim como todo o país, estou chocado com esse acidente e com as perdas para amigos e familiares. Que Deus dê conforto a seus filhos, a sua mãe, familiares e a tantos admiradores que deixou órfãos neste triste dia."

Fernando Henrique Cardoso (PSDB), ex-presidente do Brasil:  "Conheci o Eduardo, fui amigo do avô dele, sempre respeitei o Eduardo. Nessas horas precisamos nos lembrar dos familiares. Do Eduardo e dos outros passageiros. Foi um choque para a República, que perdeu um homem que abria as esperanças para o Brasil, ganhasse ou não as eleições. Ele não guardava rancores", disse o ex-presidente à Globo.

Geraldo Alckmin (PSDB), governador de São Paulo: Estamos diante de uma tragédia que entristece todo o país. Em nome do povo de São Paulo, nossos sentimentos aos familiares de cada uma das vítimas. O Brasil perde uma liderança jovem, promissora, que teria muito a contribuir para o país. Eu, um amigo de quem me aproximei muito nos últimos meses. O Governo de São Paulo decreta luto oficial de três dias.

José Serra (PSDB), candidato ao Senado por São Paulo: "Foi uma tragédia que tirou da cena brasileira um dos mais promissores políticos, que é o Eduardo Campos. Meus sentimentos à família dele às das seis outras pessoas que estavam na aeronave. Ainda é muito cedo para fazer uma análise política das consequências. Éramos amigos, apesar das diferenças de geração e de partidos políticos", afirmou em Santos.

Luiz Fernando Pezão (PMDB), governador do Rio de Janeiro: "O país perde prematuramente Eduardo Campos, homem honrado e sempre atento às demandas sociais do povo brasileiro. Empenhado na construção de um país igualitário, justo e democrático, Eduardo Campos seguia os passos de seu avô Miguel Arraes, um dos mais importantes nomes da política republicana. Político jovem, com carreira promissora, Eduardo Campos fará muita falta à democracia brasileira.

As conquistas e os prêmios de reconhecimento atestam o trabalho e o comprometimento de Eduardo Campos com o bem estar social e a vida cotidiana do pernambucano. Estas premissas também guiavam suas propostas para o Brasil. Meus sentimentos aos amigos e familiares de Eduardo Campos, neste momento tão difícil, assim como presto solidariedade às famílias das demais vítimas."

Anthony Garotinho (PR), candidato ao governo do Rio: "Foi com tristeza que recebi a notícia do trágico acidente no qual morreram sete pessoas entre elas o ex-governador de Pernambuco e candidato a presidência Eduardo Campos (PSB). Em meu nome, de minha família e dos republicanos do Estado do Rio de Janeiro lamentamos esse trágico acidente e o falecimento tão prematuro de um político de raízes históricas com o povo brasileiro. À sua família, e das demais vítimas, o nosso respeito e conforto nesse momento tão difícil."

Beto Richa (PSDB), governador do Paraná: "A morte prematura do ex-governador Eduardo Campos é um duro golpe na esperança de todos os brasileiros de bem, que acreditam na força das ideias e na honestidade de propósitos. Pessoalmente, me sinto profundamente abalado pela perda de um grande amigo a quem aprendi a admirar pela sua conduta sempre gentil e solidária. Perdemos um brasileiro que, até em suas últimas palavras, fez questão de deixar registrada a sua crença num futuro melhor para o Brasil. Que Deus, na sua infinita bondade, possa amparar a família de Eduardo Campos e nos confortar nesse momento de grande dor."

Roberto Freire, presidente nacional do PPS: "A morte de Eduardo Campos é uma tragédia que se abateu sobre o Brasil e abalou os brasileiros. A vitalidade da juventude de Eduardo, com ideias modernas sobre a gestão do país, quedou-se sob o peso de um desastre aéreo em Santos. O PPS apostou na qualidade política de Eduardo Campos neste momento em que o país busca alternativas para seu futuro e um novo projeto nacional de desenvolvimento. Embora jovem, o candidato já havia provado sua competência tanto no Parlamento quanto à frente do governo do Estado de Pernambuco. 

Nascido em uma família de tradição socialista, Eduardo Campos começou na política já na Faculdade de Economia da Universidade Federal de Pernambuco. Foi deputado estadual, deputado federal e ministro da Ciência e Tecnologia antes de se eleger governador. Do Palácio do Campo das Princesas, Eduardo Campos saiu aclamado pelo apoio popular. Sua administração foi aprovada por 90% da população pernambucana, uma marca histórica no Brasil. Conseguiu este feito atacando os principais problemas enfrentados pela sociedade, investindo na saúde e na educação e garantindo desenvolvimento ao Estado.

Para o PPS, assim como para o Brasil, a perda de Eduardo Campos tem o peso de uma grande tragédia. Atinge a vitalidade da promessa de renovação que ele significava para um país que clama por mudanças. Em meu nome pessoal e em nome do partido, manifestamos solidariedade à família de Eduardo e lamentamos profundamente sua morte, com a convicção de que suas qualidades como homem público decente, visionário e cheio de ideias novas farão muita falta ao país."   

Rui Falcão, presidente nacional do PT: "O Partido dos Trabalhadores está de luto. Lamentamos profundamente a trágica morte do ex-governador de Pernambuco e candidato à Presidência da República, Eduardo Campos, e dos outros ocupantes do avião que se acidentou hoje em Santos.  Campos, presidente do Partido Socialista Brasileiro, dedicou sua vida à política e à luta pelos menos favorecidos, em particular, pela população carente do nordeste. Campos deixa um grande vazio na política brasileira. Seu partido, o PSB, sempre foi um aliado do PT e, juntos, construímos um país melhor e socialmente mais justo. Eduardo Campos teve papel importantíssimo nas gestões do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tendo sido ministro da Ciência e Tecnologia. Mesmo quando decidiu seguir um caminho diferente ao do PT, mantivemos com Eduardo Campos uma relação de profundo respeito e admiração. A trágica morte de Eduardo Campos deixa o Brasil triste. Nesse momento de profunda dor, estendemos nossas condolências à família desse grande brasileiro, seus amigos e seus correligionários."

Henrique Eduardo Alves (PMDB), presidente de Câmara: "Com extremo choque, profundo pesar e imensa consternação recebi a informação da morte de Eduardo Campos. Fomos colegas na Câmara por três mandatos e afirmo que Eduardo foi um homem público digno, que honrou o estado de Pernambuco, o Nordeste e o Brasil. Minhas condolências à família e ao povo brasileiro, que lamentam a perda de um homem tão jovem, em seu auge político e com tantos sonhos para a vida. Sua morte deixa uma lacuna irreparável. Somente Deus para confortar os familiares e amigos neste momento de insuportável dor."

José Sarney (PMDB), senador: "A morte é um fenômeno transcendental. Supera todos os sentimentos. Deus é testemunha da minha emoção, do meu pesar e do quanto estou chocado com o falecimento de Eduardo Campos, a quem conheci ainda jovem, despontando como um grande talento. O Brasil perdeu uma de suas maiores esperanças políticas. Eduardo tinha um grande futuro e vivia um grande presente. Junto-me a sua família e ao povo brasileiro nesse sentimento de perda, e peço a Deus que nos console e nos ampare. O Brasil, o Nordeste e Pernambuco sentem o vazio que se abre – e que não será preenchido. É hora de invocar o símbolo que os romanos usavam: a coluna partida, quebrada, não completa sua beleza."

Pastor Everaldo, candidato à presidência pelo PSC: "É com muita dor que perdi um amigo. Eduardo Campos era, além de tudo, uma pessoa de bem, um cidadão brasileiro que teria muito a contribuir com a democracia brasileira neste momento. Estive com ele, na semana passada, e pude perceber o comprometimento dele com o país. Meus pêsames à família e aos amigos. Que Deus conforte a todos."

José Agripino, presidente nacional do DEM: "Em uma hora como esta é até difícil falar. O Brasil vive um momento de estupefação pela perda do homem público que foi Eduardo Campos, uma grande liderança política do NordesTe. Lamentamos profundamente a perda irreparável para família e para os brasileiros. Nossa solidariedade aos familiares e amigos de todos aqueles que o acompanhavam no voo. A agenda do candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, prevista para hoje, no Rio Grande do Norte e na Paraíba, foi cancelada. Embarcamos no início da tarde para São Paulo, onde poderemos acompanhar de perto os desdobramentos desse fatídico acidente." 

Partido dos Trabalhadores: "O conjunto do Partido dos Trabalhadores manifesta imenso pesar pelo falecimento do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, candidato à Presidência da República pelo PSB, em acidente aéreo ocorrido na manhã desta quarta-feira, 13 de agosto. Em função deste trágico fato, a direção nacional do Partido dos Trabalhadores decidiu cancelar todas as atividades públicas referentes à campanha eleitoral 2014 nas esferas nacional, estadual e municipal, em manifestação de luto com duração de três dias. O PT se solidariza com os familiares, amigos e correligionários de Eduardo Campos neste momento de dor diante de tão grande perda."

Luciana Genro (PSOL-RS), candidata à Presidência: A candidata, que concorre à Presidência pelo PSOL, disse que a eleição "se transformou em luto". "Confirmação da morte de Eduardo Campos é uma tragédia terrível! Minha solidariedade à famíia e amigos. Esta eleição se transformou em luto!", afirmou a candidata no Twitter.

Eymael (PSDC-SP), candidato à Presidência: "A família democrata cristã Brasileira, une-se ao povo neste momento de profundo pesar e externa seus sentimentos à família Arraes e aos que conviveram mais diretamente com o governador de Pernambuco."

Alexandre Padilha (PT-SP): "Suspendi toda a agenda ao saber da tragédia com o ex-governador Eduardo Campos. Estávamos em campos opostos, mas sempre fomos amigos desde o governo Lula. A morte de Eduardo é uma tragédia em todos os aspectos, para a família, amigos e para o país, que perde um politico sério e comprometido com seus princípios. E é um enorme baque para os políticos da minha geração. Fomos companheiros na equipe do presidente Lula, convivi muito com ele e com a sua família. Éramos amigos. Neste momento o que podemos fazer é estarmos próximos aos familiares dele, da mulher Renata, da sua mãe Ana Arraes, de seu pequeno Miguel e demais filhos, Maria Eduarda, João, Pedro e José."

Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP): "Profundamente chocado com a morte do Eduardo Campos", resumiu o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), mesmo sentimento exposto pela deputada federal Luiza Erundina (PSB-SP), companheira do partido do ex-governador de Pernambuco, em entrevista à Agência Estado.

Paulo Skaf (PMDB-SP): "O Brasil perdeu hoje um grande estadista, um homem público da maior qualidade, que exerceu a política com competência, honestidade e dedicação. Eu perdi um amigo, com quem tive a honra de conviver. Eduardo Campos foi um dos incentivadores de meu ingresso na política. Há cinco anos, iniciei minha trajetória política em seu partido, o PSB. Quero me solidarizar com sua família e seus amigos. Quero me solidarizar também com o povo de Pernambuco pela perda de seu grande líder."

Cesar Maia (DEM-RJ): "Que notícia trágica. 49 anos. Cinco filhos. Um homem de bem. Conheci em minha casa quando prefeito [do Rio de Janeiro]", afirmou Cesar Maia, candidato ao Senado do Rio de Janeiro pelo DEM.

Marcelo Crivella (PRB-RJ): "Hoje há no Brasil, em cada lar uma prece, em cada coração um voto de pesar e de saudades pela perda do nosso irmão Eduardo Campos."

Lindberg Farias (PT-RJ): "Em choque pela perda desse grande brasileiro, desse homem íntegro. Em função da tragédia, a agenda de hoje está cancelada."

Marcelo Freixo (PSOL-RJ): "A vida é tão rara"! Terrível a noticia da queda do avião com Eduardo Campos e comitiva. Toda solidariedade aos familiares e amigos."

Paulo Maluf (PP-SP): "Meu amigo, neto de meu amigo e um jovem de valor que deixa um vazio enorme. Eduardo Campos, que você nos dê força para encarar esta tragédia", escreveu o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) no Twitter.

Rubens Bueno (PPS-PR): O líder do PPS na Câmara disse que o partido fica "órfão" com a morte de Campos. Seu partido faz parte da coligação nacional do PSB. "É trágico, é triste. É até difícil dizer. É uma notícia que nos atinge profundamente. Falo por toda bancada do PPS. Eu perco um grande amigo e o país perde um grande líder".

José Carlos Araújo (PSD-BA): o deputado afirmou que a democracia perde com a morte do ex-governador. "Sem dúvida nenhuma é uma grande perda para Pernambuco e para o país, é uma notícia muito triste."

Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), senador e candidato ao governo do Distrito Federal: "É com muito pesar que assumo a tribuna do Senado para falar dessa morte prematura do ex-deputado, ex-ministro, ex-governador Eduardo Campos. É uma tragédia para o destino para o país. Eu tive o Campos como irmão, um líder insubstituível. O Brasil perde um de seus mais brilhantes quadros. Nos do PSB queremos aqui manifestar nossas condolências aos familiares de todos que estavam naquele avião. E pedir a Deus que nos dê serenidade e discernimento para seguir o exemplo de Eduardo."

José Pimentel (PT-CE), senador: "Manifesto meu profundo pesar pela morte do ex-governador de Pernambuco e candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, seus assessores e tripulação. Que Deus os receba em paz e que sua Luz ilumine familiares e amigos nesse momento de dor e tristeza."

Humberto Costa (PT-PE), líder petista no Senado: "Eduardo deixa uma lacuna enorme. Se afirmou como um líder político. Eu quero manifestar meu profundo pesar com a família. Em nome do meu partido quero levar minhas condolências ao Estado de Pernambuco, que está vivendo sem dúvidas umas das maiores comoções. Perde o Brasil, perde a democracia brasileira".

Valdir Raupp (PMDB-RO), senador e presidente do PMDB: "Lamentamos profundamente o acidente que vitimou o Eduardo Campos. A política brasileira fica menor com a morte repentina e trágica de Eduardo Campos num momento tão produtivo de sua vida. Sua trajetória foi exemplar e era verdadeira inspiração para os jovens brasileiros. O PMDB lamenta essa perda e manifesta à família seus sinceros pêsames."

Roberto Freire (PPS-SP), presidente do PPS: "É uma tragédia, uma infelicidade. Não só para os amigos e para os correligionários, mas principalmente para o Brasil perder um homem como Eduardo Campos."

Antônio Imbassahy (BA), líder do PSDB na Câmara dos Deputados: "Uma tragédia se abateu sobre todos nós, hoje, com o desaparecimento inesperado e impensado de Eduardo Campos. O acidente aéreo vitimou não apenas um personagem da política nacional, mas uma grande personalidade brasileira. O país perde um líder carismático, um guia, um homem de família, pai exemplar e marido amoroso. Enfim, não tenho palavras para expressar tudo aquilo que estou sentindo, mas quero registrar meu profundo pesar e celebrar o legado que Eduardo Campos deixa para Pernambuco, para o Nordeste e para o Brasil. Eu e minha família nos solidarizamos com o seus familiares, amigos e correligionários. Estamos em oração, pedindo conforto para todos e seu descanso em paz."

Romário (PSB-RJ): "O Brasil acaba de perder um de seus melhores quadros políticos, o candidato a presidente pelo PSB Eduardo Campos. Tive a felicidade de conviver muito com ele nos últimos meses, desde meu retorno ao partido. Foi um privilégio aprender com um homem íntegro e extremamente republicano, que amava seu país, seu povo, acreditava e fazia uma política honesta. Sob o seu comando, o Brasil com certeza teria um futuro bem melhor. É difícil visualizar um quadro mais capacitado que ele para comandar o país neste momento. Uma lástima. Campos foi governador de Pernambuco por dois mandatos, com altíssimo índice de aprovação pelos cidadãos pernambucanos. Para eles, seus amigos e sua família eu expresso, neste momento, minha profunda tristeza. Força Renata, sua amada esposa, e Maria Eduarda, João, Pedro, José e Miguel, seus queridos filhos. Luto!"

 
 
 
 
 
 
 

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos