UOL EleiçõesUOL Eleições

22/09/2006 - 15h41

Leia a íntegra do bate-papo com Tarcisio Foglio, candidato do PSC em SP

Da Redação
Em São Paulo
Tarcisio Foglio, empresário que é candidato do PSC (Partido Social Cristão) ao governo de São Paulo, conversou nesta sexta-feira (22/9)
com os internautas do UOL. O texto abaixo reproduz a maneira como os participantes digitaram suas perguntas e respostas.

(01:07:28) Tarcisio Foglio: Boa tarde, é um prazer estar aqui com os internautas.

(01:07:51) carola: candidato, não conheço a sua história política, poderia contar uma pouco para a gente?

(01:09:43) Tarcisio Foglio: Eu me filiei ao PSC, e o partido vislumbrou a possibilidade de eu disputar a deputade federal, há 3 meses o prefeito de Presidente Prudente achou por bem não sair como candidato ao governo, então achou-se que eu era o escolhido, no começou não quis sair, e como alguém tinha que ser o candidato, eu concordei.

(01:10:06) ellen: boa tarde

(01:11:50) Tarcisio Foglio: O que tenho baseado a minha campanha é como uma campanha institucional, eu não falou ao eleitor de cidadão para cidadão, para prestar atenção em quem vai votar, procure na internet o passado dos candidatos, observando seus erros. Desde de criança há uma enchente há 4 décadas em Ribeirão e dizem que vão resolver e ningué faz.

(01:11:59) Ackimintira: Boa tarde candidato. Qual a sua proposta sobre o metro ir até guarulhos?

(01:15:19) dudu mg: o que voce acha da crise politica vivida pelo brasil no momento?

(01:15:19) Tarcisio Foglio: ackimintira: esta preocupação de todos nós, não vejo como um assunto de primeira necessidade para os políticos que podem conseguir. Eu gostaria de ter nas estações existente, estacionamento para os usuários, é um princípio, mas se eu fizer isso irá aumentar o número de usuários. Todas as medidas populistas que afetam o metrô não resolvem o problema, pois ele tem um limite. O que seria mais importante é que SP tivesse um metrô circundante de superfície ao redor de SP. Se eu tivesse esse metrô não precisaria me preocupar levar o metrô da Sé até Guarulhos, poderia ir para onde quiser com este metrô. Eu acredito que seja necessário um plano diretor.

(01:18:34) Tarcisio Foglio: Dudu MG: Eu vejo esta crise como um resultado de uma história que se mostrou até aqui. O seu presidente hoje era o futuro há 15 anos atrás. O que você fez neste tempo? O que você fez ontem para estar melhor hoje? No Brasil, há 30 anos está acontecendo uma lenta degradação da nossa sociedade. Estamos perdendo os princípios fundamentais, como ética, educação. Por isso sou contra a educação continuada. O aluno que sabe que vai passar, não vai respeitar o futuro do Brasil. Então ou iremos às urnas com consciência ou não vai mudar. Eu tenho amigos que dizem que não vão votar em um candidato com 1% por acha que ele vai perder. Então estamos usando muito mal o nosso voto.

(01:18:47) Marcus: Sou professor, há tempos não recebemos um reajuste salarial, vivemos recebendo gratificações nas quais deixamos de receber quando aposentamos, qual a proposta do senhor perante esta afirmação?

(01:22:31) reis: Sr. candidato, qual a linha programática de seu partido?

(01:22:39) Tarcisio Foglio: Marcus: uma ds propostas que fiz há poucos e está no noticiários foi a efetivação de todos os professores com regime de CLP e estão trabalhando com regime de CLP. O governo não tem registrado esses funcionários, tem que efetivar estes professores. Por exemplo, um PM outro dia veio me falar outro dia, nunca vieram me perguntar se a farda que eu uso é confortável. Então não é por ai. Vão juntar os professores para discutir essas necessidades. Então se não estiver alimentado, com as contas pagas, como vai aguentar os alunos? Não ter 60 alunos nas salas, em vez de 2 professores por sala, seria melhor ter duas salas com 30 cada. Tem que ter um plano de carreira e salários decentes. Assim como o polícia não vai prender o bandido se não for valorizado como política o mesmo acontece com o professor. Um sobrinho de um funcionário meu foi posto para fora da sala de aula porque ele corrigiu a professora falou 'menas'.

(01:24:50) Tarcisio Foglio: Reis: o PSC foi fundado por Pedro Aleixo há uns 20 anos atrás, é de centro direta, apoiado pela igreja evangélica Assembléia de Deus. Hoje temos uns 300 diretórios, já com endereços, presidente, conselhos. Temos 190 candidatos. Tem esse sonho que continuar vivendo.

(01:26:27) Marcus: O que o senhor propõe para a valorização das cidades medianas do interior?

(01:26:48) Tarcisio Foglio: Temos no RJ, MG e MS estamos bem organizados. 2% em 9 estados não é poucos. Acho que a lei em alguns poucos é justa, mas 29 partidos, haja ideologia política. Não é para se pensar? Se olharmos os livros de sociologia só há 5. 29 estrapola bastante. Então a gente poderia viver bem assim. O partido é a causa, não o efeito.

(01:27:19) Beto/SP: Sou professor de desenvolvimento infantil e quero saber quais as suas prospostas para melhorarmos nossa qualidade que anda muito baixa

(01:32:26) palmeiras: Qual a sua proposta quanto a segurança e principalmente ao PCC?

(01:32:31) Tarcisio Foglio: Marcus: Eu digo que geração de emprego não acontece por mágica, acontece sim por crescimento. Se eu tenho 20 funcionários, para ter 21 só se eu realmente precisar de mais um. Então um dos projetos que defendo é a instalação de portos secos dentro do estado para receber a carga. Estes vão receber via rodovia e passa para a ferrovia que é mais barato e dai trás para os portos. Hoje 90% dos caminhões trafegam com excesso de peso. Descentralizar os serviços nos postos de saúde, eu vejo filas de ambulância de todas as cidades vindo para cá, trazendo gente para ser tratadas. Em Ribeirão Preto tem um HC, porque não desenvolve? Temos um Hospital da Mulher aqui ao lado do Incor que está parado. Se temos uma melhor distribuição no atendimento da saúde, se gera uma economia para a cidade. Então não é uma solução para se valorizar as cidades do interior. Outra que penso, em meu ambiente de trabalho atendo a todos, então no meu governo vou trabalhar assim.

(01:32:34) Tarcisio Foglio: Eu tenho 640 municípios em SP, então vai a cada 15 dias para cada cidade do interior para ouvir os prefeitos e reúno 30 prefeito. Eu iria pessoalmente. Isso é possível de se fazer, é só querer. Então em um mês eu vou escutar 60 prefeitos. É uma forma de interiorizar a administração e valorizar.

(01:36:12) 3 X: Boa Tarde Candidato !!!! gostaria de saber o q o senhor pensa sobre a legalizaçao da maconha ???

(01:36:14) Tarcisio Foglio: Palmeiras: O preso era um cidadão e continua sendosó um ser humano, e tem esses direitos. De ter um lugar limpo, alimentação, um médico. Ele não precisa de celular, televisão. O preso passou a ter mais direitos do que de se estar preso. Eu assisti outro dia um documentário com presos norte-americanos que dizia que eles não brigam porque se brigar ficam 9 meses na solitária. Agora, uns precisa ficar 9 meses na solitária e outros nunca. Então se são tratados como seres humanos, se comportou, lendo livros, depois de um ano faz um curso profissionalizante. O advogando que entrar na cadeia ele terá que ser revistado, se o juiz deixar entrar. Aí o preso começará a respeitar, 90% das vezes os criminosos estão pedindo para a polícia pegá-los.

(01:38:20) JR-SP: Boa Tarde candidato. POrque a população está ainda acreditando em canditados envolvidos com corrupção?? Mesmo que as evidências comprovem o envolvimento de candidatos do PT, porque a população ainda vota em pessoas como eles????

(01:38:21) Tarcisio Foglio: 3 X: uma coisa que eu faria neste governo é a secretaria das drogas e entorpecentes, não é caso de polícia. O traficante só existe se existir o comprador. O álcool paga ICMS, maconha não paga. Eu não vou dizer que sou a favor, mas algo tem que ser feito. Com esta secretaria seria o primeiro passo para se estudar o que deve ser feito. Alguns cientistas mostraram que elas podem ser prescritas para algumas doenças, para ajudar a parar o vício de drogas mais fortes.

(01:41:41) Livia: Se você não sair para Governador no dia 01 de Outubro deste ano, irá se candidatar para outro cargo politico algum dia?

(01:42:15) Tarcisio Foglio: JR-SP: não pense que a população está acreditando, ela não acredita. Mas a pesquisa está dizendo que os mesmos serão eleitos. Ou povo está acreditando mesmo ou está abandonando a nossa terra a própria sorte. Elas não acreditam que através do voto iremos mudar a situação de nosso país. Temos uma história muito pacífica. Tem que funcionar, tem que ter sempre alguém impressionando o trabalhador. O brasileiro é um pouco assim sossegado em relação ao próprio futuro em relação as facilidades que encontram. A impressão que tenho é de que nós todos estamos abandonando a nossa pátria. Essas pessoas que estão na miséria, quem obriga os governantes a ajudar estas pessoas? Até quando admitiremos ter 40 milhões de necessitados e ninguém os ajudam.

(01:43:03) Tarcisio Foglio: Livia: Não sei, isso vai depender do comportamento de nós todos nas urnas. Se for como prevista, os mesmos ganhando, dificilmente eu disputarei de novo, será mais fácil eu mudar de país.

(01:43:06) Cidadão: o Senhor acha que uma decisão já no primeiro turno é prejudicial à população? Porque?

(01:44:52) GERSON.SÃO MATHEUS: SR CANDIDATO, QUAL SUA PROPOSTA PARA DIMINUIR A DESIGUALDADE SOCIAL?

(01:44:55) Tarcisio Foglio: Cidadão: acho prejudicial, sobre a presidência, se tem até 7 candidatos, vamos votar naquele que mais agrada, se tivermos segundo turno vai sobrar uma chance para pelo menos escolher a sua ideologia, a linha política que quer que o país trace nos próximos anos.

(01:51:00) Carlos Soares: O senhor é a favor do voto obrigatório?

(01:51:03) Tarcisio Foglio: Gerson São Matheus: não existe outra maneira se não for crescendo. Não existe inventar vagas de empregos. Emprego surge quando a sociedade se desenvolve. Se não tem a livre iniciativa das pessoas querem melhorar. Eu quero sempre fazer uma coisa nova e gerar empregos, então se o governo der condições eu faço. Eu tenhoamigos que tem milhões e não fazem nada pois estão cansados de trabalhar e não dar em nada. No Brasil para se comprar um carro tem que se pagar um carro e meio de impostos. O Brasil tem 94% de território deveria ter ferrovias em grandes extensões, pecuária. Se você fosse o abastecedor de grãos do mundo, o que temos condições de ser, talvez estivessemos andando de Cadilac e não com esses carros populares. Nós podemos ter indústrias avançadas, por ex. na área de informática. Temos inteligência mas estão levando embora. Então teremos que pagar royalties para os EUA por as pessoas daqui estão indo embora pra lá. Quando se reduz os impostos de imediato a indústria reage, ela começa a vender mais e come

(01:53:07) bruno: tarso. o que cha ada ideia tuacan de privatizar a Petrobras???

(01:53:13) Tarcisio Foglio: Carlos: não sou, mas se não fosse só teríamos ter nas urnas aqueles que estão ganhando com o governo que está aí. Se tívessemos outro nível de educação, sim. Me assusta hoje o número de pessoas que estão sendo beneficiadas com o dinheiro público. Acho que temos que ter um preparo da população com aulas de educação moral e cívica, e deposi de duas eleições quem sabe fazer uma experiência com eleição sem ser obrigatória.

(01:53:26) Carlos Soares: O senhor é a favor do voto obrigatório? Por que? Se estamos em uma demogracia não devo ser obrigado a vota!

(01:56:10) Tarcisio Foglio: Bruno: a Exon teve o mairo faturamento de pétróleo domundo, com US$ 400 bilhões, o lucro US$ 40 bilhões. A terceira foi a Petrobras, que teve um lucro de US$ 8 bilhões. A Vale do Rio Doce, a CSN estão indo muito bem. A nossa cultura é diferente. Trabalhei na África e quando eu ia no gabinete do ministro da defesa o meu concorrente era o embaixador dos EUA, porque eles tem uma cultura do comércio. Enquanto que nós somos vendedores. É uma coisa mutio complexa trabalhar deitada em berço esplêndido. Então acho que a Petrobras deveria ser sim privatizada. Seria bom para os funcionários. Com uma administração onde houver uma cobrança a coisa irá bem melhor.

(01:56:17) Hassan: Olá, tenho 15 anos e sou estudante, gostaria de saber se você tem propostas inteligentes e funcionais para nós, estudantes, ou se é o mesmo bla bla bla de sempre para conquistar votos e um salário gordo.

(01:59:09) Tarcisio Foglio: Hassan: Você tem 15 anos então eu digo sempre que qualquer governante tem que governar preocupado com a próxima geração e não na próxima eleição. Eu não estou feliz com o Brasil que meu pai me deixou, estou muito bravo com ele e com a sua geração. Mas a geração dele deixou um Brasil muito complicado para nós. Eu gostaria de ter um plano de governo feito em 90 dias pela população. Acho que o governo não precisa ter palácios. Eu tenho projetos para cultura, festivais de teatros onde as escolas poderão se inscrever. Os cenários não seriam comprados, teriam que se fazer como se faziam há 200 ou 300 anos atrás. É dificil administrar pensando na próxima geração. O meu sonho é que não haja reeleição.

(01:59:27) Vinícius: Candidato, o senhor acredita que teu partido sofre algum preconceito por ser "cristão"? Há tempos o candidato Francisco Rossi perdeu votos por sustentar suas propostas em religiosidade...

(02:02:13) Tarcisio Foglio: Vinicius: Não sei se perde por ser cristão, isso não é pecado. O Brasil prevê a liberdade de escolha de religião etc. Eu acredito que não, e jamais mudaria o meu voto por causa da religião da pessoa. Deus é um só. O que é importante é que independente disso, a minha vida toda aprendi que não se deve fazer com o próximo o que não quer que façam com você. Faça o seu voto uma forma de legítima de expressão. Procure analiar a sua postura de cidadão, faça um retrospecto. Não pergunte o que o Brasil pode dar para você e sim o que vôcê pode dar ao Brasil. Dizem que isso é piegas. A honestidade virou sinônimo de bobo. Pensem nisso e espero que todos tenhamos um bom momento na urna. Obrigado a todos.

(02:02:17) Geovanna/UOL: O Bate-papo UOL agradece a presença do candidato Tarcisio Foglio e de todos os internautas. Até o próximo!