Na TV, Serra e Haddad trocam acusações sem citar Russomanno, que reclama dos "ataques baixos"

Do UOL, em São Paulo

Apesar de Celso Russomanno, candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, dedicar todo seu tempo no horário eleitoral gratuito transmitido na tarde desta sexta-feira (14) a reclamar dos "ataques baixos" que sofre dos adversários, José Serra (PSDB) e Fernando Haddad (PT) trocaram acusações entre si e ignoraram o líder nas pesquisas eleitorais.

Serra repetiu grande parte de seu programa da última quarta-feira (12), com as críticas às gestões de Paulo Maluf, Celso Pitta e, principalmente, Marta Suplicy, que é do mesmo partido de Haddad.

Veja a íntegra do horário eleitoral de São Paulo

Um ator aparece entre as imagens de recortes de jornais, que criticam as condições da saúde em São Paulo, em especial no governo de Marta: "Será que o pessoal do PT acha que a gente esqueceu o caos que era a saúde quando eles estavam na prefeitura?".

Serra apareceu no programa para criticar seus adversários de maneira velada: "Com saúde, não adianta querer reiventar a roda. São Paulo já sofreu muito na mão desses mercadores de ilusões". Apesar de não mostrar imagens do governador Geraldo Alckmin, o candidato tucano disse que vai integrar o sistema municipal de saúde com o sistema estadual.

O programa do candidato tucano terminou com mais um ataque a Haddad, novamente sem a imagem de Serra, desta vez contra o Bilhete Único mensal, principal proposta do petista para o transporte na capital paulista. "Com o bilhete mensal do Haddad, você paga a todo momento, mesmo se não usar."

O petista começou seu horário se defendendo das críticas de Serra. Usando atores, o programa petista diz que "o candidato Serra tem tentado inutilmente confundir as pessoas" sobre a proposta petista de criar o Bilhete Único mensal".

Haddad voltou a exibir um segmento em que mostra sua intenção de usar os impostos de maneira inteligente para implementar o Arco do Futuro, proposta para criar empregos em regiões afastadas do centro de São Paulo.

Além disso, o petista mostrou novamente imagens da presidente Dilma, que diz que Haddad "é ousado e tem os pés no chão."

O programa de Haddad terminou com um jingle que critica quem "teve dinheiro, mas não teve vontade".

Na tarde em que não foi atacado por nenhum dos principais rivais na campanha, o programa de Russomanno começou com um ator dizendo que o candidato do PRB sofre com o "vale tudo eleitoral". "Desde que Celso chegou à liderança, ele tem sofrido os ataques mais baixos", afirma o ator. "Vale a pena tanta baixaria?"

Russomanno aparece para dizer que "isso não vai me tirar do rumo, vou continuar defendendo você, eleitor".

O programa do candidato do PRB acaba com um narrador dizendo que Russomanno vai construir "uma nova São Paulo, sem ataques ou agressões".

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos